Translate/traduza

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Desencontro

Por instantes, imagino um encontro comigo num outro tempo,
ensaio as palavras que me diria e as decisões que tomaria...
Estou a olhar-me nesse tempo em que o agora era o futuro distante, 
uma espécie de eternidade por cumprir...
Distante, revejo certezas incertas, projectos,
sonhos, ilusões legítimas...
Fixo-me no olhar e vislumbro um sorriso aberto
no tempo, como se o tempo não fosse uma armadilha...
Penso-me num instante passado,
relembro a crença numa forma generalizada
de imortalidade inconsciente, natural...
Nesse tempo uma morte era uma tragédia,
hoje é apenas mais uma morte,
natural e indiferente...
Naquele tempo em que me encontro comigo,
chegado dum futuro tornado passado
onde o presente não existe,
abraço-te numa promessa nunca cumprida...
Encontro no desencontro
dum tempo sem tempo,
onde as palavras ecoam
sem forma nem conteúdo...

4 comentários:

Cristal de uma mulher disse...

As vezes nem sabemos se a vida é vida ou se a morte é morte. Podemos saber que o momento é este de um amanhã incerto de grandes anatomias sem espaço..
Beijos e um lindo fim de semana

Marceli disse...

Adorei as palavras.

Bacana seu blog. Parabéns!

Marceli
http://dicadelivro.com.br/

Rita Carrapato disse...

Uma retrospetiva com o olhar no futuro. Muito bom este desenrolar de pensamentos no tempo.

Rita Carrapato disse...

Uma retrospetiva com o olhar no futuro. Muito bom este desenrolar de pensamentos no tempo.

Related Posts with Thumbnails